Mobilidade de Hidrogênio

A eletrólise da água não é particularmente eficiente. 70% da energia é perdida na conversão e apenas 30% permanecem disponíveis para o uso. Os motores de combustão interna também têm uma eficiência de apenas cerca de 30%. Mesmo que o rendimento dos painéis solares e dos aerogeradores sejam melhores nos desertos, não compensam essas perdas, bem como não o transporte. Portanto teremos que importar hidrogênio. Não for possível produzir mais de 50% da energia diretamente na Alemanha, se conduzimos todos nossos carros por eletricidade. O resto deve ser importado; e isso acontecer na forma de hidrogênio ou álcool que pode ser armazenado com mais facilidade. Enquanto o hidrogênio reage com o CO2 obtem-se álcool metílico, que não pode evaporar no espaço como o hidrogênio. Vai se precisar hidrogênio também pela indústria como a indústria siderúrgica. Uma área deserta de 300x300km seria suficiente para a necessidade global de energia e não requer aplicar concreto a terra verde. Tal instalação no norte da África novamente aumentaria a chuva local na zona do Sahel após os cálculos. Se alguém quisesse alimentar todos os carros elétricos por bateria, isso poderia ser pensável por uma linha de energia submarina através de Gibraltar, mas isso levaria um outro problema: A rede elétrica na Áustria pode atualmente fornecer no máximo 70GW. Para 1 milhão de tarbolcarregadas a 350kW, um desempenho de rede inimaginável de 350GW seria necessário. Carregar carros em momentos diferentes também poderia expor a rede elétrica a flutuações fortes e, assim, torná-lo instável. O problema da linha de energia também pode ser resolvido mais facil, enquanto os parques eólicos do alto-mar producam diretamente hidrogênio. Se você quiser ter um carro no futuro, mas coloca todos os caminhos diários, como a trabalho ou fazer compras sem isso, então você também possa pensar em motores de combustão a base de hidrogênio. Estes seriam ainda mais baratos do que os motores a gasolina; a infraestrutura para producir-os já existiria. Uma vantagem inegável da mobilidade de hidrogênio é, obviamente, que o reabastecimento não dura mais do que com a gasolina. Assim, você tem um alcance não infringido para onde ir. Para caminhões propulsão elétrica fornecida de baterias não vêm sem problemas. O jornal do Guardian já considerou linhas aéreas para rodovias. Pensamos que seria mais caro do que necessário de qualquer maneira. A producão de veículos da bateria até mesmo é mais intensiva em recursos que dos carros comuns. O lítio e outros metais como cobalto devem ser extraídos sem causar muito dano ambiental. Já se tem pensado sobre mineração no pélago ou de mineração no ártico ou as florestas tropicais. Como assim será muito importante reciclar todas as baterias. Entretanto a uma vida temporária das baterias como armazenamento de energia estacionária seja pensado. A pergunta não será ou mobilidade eléctrico com baterias ou mobilidade de hidrogénio mas uma, bem como também.

Carta à chanceler Angela Merkel por causa da revolução da energia

Carta de 12.02.2019
Cara Sra. Federal Chanceler,

Hoje li no DWN (notícias econômicas alemãs) o artigo “Merkel fala pela primeira vez do fracasso da transição energética” quando a expansão da linha de alta tensão dos parques eólicos no norte para o sul não progrede. A transição de energia não pode e não deve simplesmente falhar! Por que não levantar algo mais imaginação para soluções problemáticas? Se uma ampliação das linhas de alta tensão é atualmente impraticável, por que não partir a água em hidrogênio e oxigênio e em seguida transportar o hidrogênio sobre algo como um gasoduto para o sul? Então não haveria problemas com os muitos postes de energia (protestos de vizinhos)! Tal solução eu me sentiria como progressista, já que mais tarde, se toda a demanda de energia da Alemanha não puder mais ser coberta por energia alternativa local, o hidrogênio poderá ser importado de parques energéticos alternativos de N-África. Os cientistas calcularam-se que devido com parques energéticos alternativos de solar e vento na N-África também a precipitação na zona do Sahel subiria novamente (pela mudança climática já afetada por secas frequentes). Então haveria energia suficiente para carros de hidrogênio.

Vejo carros elétricos alimentados por bateria como uma solução não satisfatória a longo prazo, porque você não quer ligar o seu carro indo as férias para duas horas, incluindo uma pausa forçada, mas seja apto para um segundo carro para ir ao trabalho diário. Sem mencionar os problemas com a toxicidade e as matérias-primas das baterias, além que se descarregem com baixas temperaturas. Além disso, não é esclarecido como uma rede normal de energia pode transportar a carga de várias turbocarregadas simultâneas. Caminhões e provavelmente os ônibus nunca funcionar com baterias. Mas o objetivo deve ser haver fontes de energia fóssil totalmente renunciadas até cerca de 2050.

Uma construção de parques energéticos alternativos na N-África exige, é claro, um curso político em nível da UE. Mas isso não deve ser impossível como eu sei, em particular, a UE também está envolvida na proteção climática. Em última análise, é melhor construir painéis solares no chão do deserto (deserto de pedra para que os coletores não ficam cobrando-se de pó), como você não perde solo fértil.


Com os melhores cumprimentos,
Elmar Stellnberger